Serões de Dona Benta (Monteiro Lobato)

Capa criada por Roberto Fukue para o livro Serões de Dona Benta, do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948), publicado no Brasil a partir de fevereiro de 2014 pela editora Globinho, dentro da coleção Monteiro Lobato – Obra Infantojuvenil. Publicado originalmente em 1937. Ilustrado por Roberto Fukue.

Sinopse: Monteiro Lobato foi o primeiro escritor brasileiro a respeitar a inteligência e a curiosidade intelectual das crianças. Como não subestimava os pequenos, não hesitava em informar por meio da literatura, oferecendo ao leitor uma nova maneira de conhecer o mundo. Serões de Dona Benta, que acaba de ser lançado pela Globinho, é um delicioso exemplo da habilidade do autor em abordar temas complexos de maneira divertida. No livro, depois de perceber certa mudança nas crianças desde a abertura do primeiro poço de petróleo no Brasil – episódio narrado no livro O poço do Visconde –, Dona Benta resolve ensinar física, geografia e astronomia para Pedrinho, Narizinho e Emília. Eles tinham aprendido um pouco de geologia e queriam mais, estavam ansiosos por “saber tudo quanto há no mundo”. Ao longo da narrativa, Dona Benta fala de assuntos ligados à ciência de maneira, simples, direta e dinâmica. Usa acontecimentos do cotidiano, experiências e curiosidades como ponto de partida para as aulas. Uma lufada de vento que entra pela janela da sala, por exemplo, se torna o gancho perfeito para uma conversa sobre o ar. Monteiro Lobato cria metáforas engraçadas, usa diálogos para desenvolver o conteúdo científico e valoriza a participação das crianças na construção do conhecimento. As observações e questionamentos dos garotos – junto com as maluquices de Emília – deixam as aulas de Dona Benta ainda mais dinâmicas e divertidas. Além disso, os 22 capítulos do livro são encadeados de maneira a facilitar o aprendizado e, muitas vezes, o mesmo assunto é divido em mais de um capítulo para não cansar o leitor. Lançada pela primeira vez em 1937, a obra é um reflexo da preocupação de Lobato com a educação e de sua visão revolucionária sobre pedagogia. Além disso, apresenta algumas ideias bastante avançadas para a época, e que só se tornaram realidade muito tempo depois da morte do autor, como a viagem pela estratosfera, a clonagem ou o uso da força das marés como fonte da energia renovável. Apesar dos quase 80 anos transcorridos desde sua primeira publicação, o livro continua atual e pode ser uma valiosa ferramenta para professores e alunos. A edição atual foi complementada com comentários que atualizam os conteúdos científicos e apontam as mudanças que aconteceram na década de 1940 até os dias de hoje. Outra novidade dessa recente edição são os dois anexos no final do livro: um breve histórico da evolução dos modelos atômicos e uma classificação periódica dos elementos. Como diz Tatiana Belinky no texto de orelha do livro, com sua linguagem “clara como água do pote”, sem nenhum “cientifiquês”, Serões de Dona Benta vale por toda uma biblioteca. [fonte: contracapa da edição publicada em 1994]

Adaptações para televisão: Sítio do Picapau Amarelo (1952-1962, série, TV Tupi), Sítio do Picapau Amarelo (1964, série, TV Cultura), Sítio do Picapau Amarelo (1967-1969, série, TV Bandeirantes), Sítio do Picapau Amarelo (1977-1986, série, TV Globo), Sítio do Picapau Amarelo (2001-2007, série, TV Globo) e Sítio do Picapau Amarelo (2012-2014, série animada, TV Globo).


Conheça outras capas desse título, autor, editora, coleção/série ou capista nos marcadores abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário