Páginas

Sylvia Orthof: A limpeza de Teresa (1983)

A limpeza de Teresa. Sylvia Orthof. Editora Ática. Coleção Lagarta Pintada. 1983-2005 (1ª a 11ª edição). ISBN: 85-08-02822-9 (1988). Capa de Sonia Maria de Souza (lustração). Ilustrações de Sonia Maria de Souza.
Primeira Edição
A limpeza de Teresa é um livro infantil da escritora brasileira Sylvia Orthof, publicado originalmente no Brasil em junho de 1983 pela editora Ática. O livro, um conto rimado, é indicado para crianças em inicio de alfabetização (6-7 anos) e tem como temática a mania de limpeza e higienização.

Teresa tem mania de limpeza, então sai esfregando tudo que vê pela frente: chão, gato, bananeira, mesa, avião... Cuidado! Se ela estiver por perto, nem você vai escapar da faxina! [fonte: contracapa da edição de 2008] Quem será essa Sinhá Teresa, que tem mania de limpeza, e que vai parar em Veneza, limpando com seus panos os turistas americanos? [fonte: site da editora]

Lúcia Pimentel Góes: A girafa e o mede-palmo (1984)

A girafa e o mede-palmo. Lúcia Pimentel Góes. Editora Ática. Coleção Lagarta Pintada. 1984-1998 (1ª a 5ª edição). ISBN: 85-08-00592-X (1987). Capa de Maria Cecília Marra (ilustração). Ilustrações de Maria Cecília Marra.
Primeira Edição
A girafa e o mede-palmo é um livro infantil da escritora brasileira Lúcia Pimentel Góes, publicado originalmente no Brasil em outubro de 1984 pela editora Ática. O livro, uma fábula moderna de acumulação, é indicada para crianças em inicio de alfabetização (6-7 anos) e tem como temática a solidariedade.

A girafa Benedita é tão distraída que acaba presa entre os galhos de uma árvore. Ela fica desesperada! O minúsculo mede-palmo promete ajudá-la. Será que o bichinho vai conseguir tirar a grande Benedita desse apuro? [fonte: contracapa da edição de 2010] Como um pequeno mede-palmo pode soltar uma girafa presa no alto de uma árvore? [fonte: Coletivo Leitor]

Lúcia Pimentel Góes: A maior boca do mundo (1984)

A maior boca do mundo. Lúcia Pimentel Góes. Editora Ática. Coleção Lagarta Pintada. 1984-2008. ISBN: 85-08-00593-8 (1985), 85-08-00761-2 (1986), 85-08-01757-X (1984), 85-08-02823-7 (1988) e 978-85-08-02823-8 (2007). Capa de Cláudia Scatamacchia (ilustração). Ilustrações de Cláudia Scatamacchia.
Primeira Edição
A maior boca do mundo é um livro infantil da escritora brasileira Lúcia Pimentel Góes, publicado originalmente no Brasil em dezembro de 1984 pela editora Ática. O livro é indicada para crianças em ínicio de alfabetização (6-7 anos) e tem como temática a curiosidade natura das crianças pequenas.

Laurinha é uma menina muito perguntadeira. Mas, um dia, ela é que tem de buscar a resposta para uma pergunta difícil, feita pela vovó. [fonte: Coletivo Leitor] Laurinha sai por aí querendo saber qual é a maior boca do mundo. Sua amiga Zelita é dona de uma boca e tanto! Ah, mas a boca do sapo é bem maior, que parece pequena se comparada à do tubarão, que... [fonte: contracapa da edição de 2010]

Giselda Laporta Nicolelis: O exercício da paixão (1985)

O exercício da paixão. Giselda Laporta Nicolelis. Editora Nobel. 1985. ISBN: 85-2130327-0.
Primeira Edição
O exercício da paixão é uma autobiografia da escritora brasileira Giselda Laporta Nicolelis, publicada originalmente no Brasil em 1985 pela editora Nobel.

Giselda é escritora (literatura infanto-juvenil). Suas memórias já se utilizam de uma certa crítica feminista. Descendente de imigrantes italianos, sua adolescência transcorre no Brás (São Paulo) nos anos 40. O livro refere-se também à vida profissional mais recente da escrtora. [fonte: revista Mulherio]



Giselda Laporta Nicolelis: Sonhar é possível? (1982)

Sonhar é possível?. Giselda Laporta Nicolelis. Editora Brasiliense. Coleção Jovens do Mundo Todo. 1982-1985 (1ª e 5ª edição). Capa de Miguel Paiva.
Primeira Edição
Sonhar é possível? é uma novela juvenil da escritora brasileira Giselda Laporta Nicolelis, publicado originalmente no Brasil em 1982 pela editora Brasiliense. O livro traz como temática as habitações coletivas, a pobreza, a luta do dia-a-dia pela sobrevivência, os problemas sociais.

Num casarão caindo aos pedações, pessoas lutam duramente pela sobrevivência. Em meio às dificuldades de um único dia, dentro de um espaço tão hostil, seria possível sonhar uma realidade melhor? [fonte: contracapa da edição de 1987] Sonhar é possível? é um relato sensível e comovente de um dia no cortiço do Bixiga, ressaltando as desventuras vividas por seus moradores. São histórias de pessoas que lutam duramente pela sobrevivência, mostrando um pouco desse mundo - o das "habitações coletivas". Localizado na região central da cidade de São Paulo, o bairro do Bixiga abriga casarões antigos, que, por estarem em situação irregular ou abandonados, são transformados em cortiços. Ao retratar os aspectos trágicos da vida de seus moradores, a autora desperta no leitor as perturbantes questões: Nesse ambiente e miséria, violência, injustiças, é possível almejar uma realidade melhor? Afinal, sonhar é possível? [fonte: contracapa da edição de 2009] 

Odette de Barros Mott: Justino, o retirante (1970)

Justino, o retirante. Odette de Barros Mott. Editora Brasiliense. Coleção Jovens do Mundo Todo. 1970 (1ª edição). Capa de Elisa T. Setti Riodel. Ilustrações de Lila Galvão Figueiredo.
Primeira Edição
Justino, o retirante é uma novela juvenil da escritora brasileira Odette de Barros Mott, publicado originalmente no Brasil em 1970 pela editora Brasiliense. O livro é indicado para jovens a partir dos 15 anos e traz a temática do problema da seca no sertão do Nordeste brasileiro, a emigração para outras regiões do país, a dura vida de retirante.

Justino tem apenas 12 anos, mas está só no mundo: seu pai e sua mãe morreram num intervalo de apenas quinze dias! Decide, então, fugir - da seca, da fome e da opressão de um senhor de terras. Em sua busca por um destino diferente, conhece não só o sofrimento de seus irmãos nordestinos, mas também a solidariedade e a amizade de pessoas que o ajudam a prosseguir em seu maior sonho: transformar sua vida e modificar a triste realidade de sua gente. [fonte: contracapa da edição de 2001] O que mais impressionara fora a fartura da feira, os caçuás cheios de carne e de verduras, as frutas, a mandioca. Na caatinga, nos campos, aquela miséria! Por que seria asiim? Por que no mundo essa diferença de comer? [fonte: contracapa da edição de 1982]

Everaldo Moreira Véras: O menino dos óculos de aro de metal (1977)

O menino dos óculos de aro de metal é um livro infantojuvenil do escritor brasileiro Everaldo Moreira Veras, publicado originalmente no Brasil em 1977 pela Companhia Editora de Pernambuco. Foi o primeiro livro publicado do autor.

Uma história de amor, uma história de aventuras empolgantes entre a realidade de fora e o simbolismo da realidade interna nas emoções da busca da Flor-do-Sol. Somente a solidariedade da turma do Teno, enfrentando riscos inimagináveis, consegue superar as dificuldades opostas na conquista do objetivo final. [fonte: orelha da edição de 1979] "A história mostra o encontro de Saulo, o personagem-narrador, com Teno, ‘o menino dos óculos de aro de metal’, de quem fica muito amigo e em cuja casa passa a viver. Até que o menino fica doente e Saulo sai em busca do ‘pólen da Flor-do-Sol’, que poderia curá-lo, conforme o mágico Salir dissera." [ALERTA DE SPOILER: para ler selecione o trecho em branco a seguir] "Mas ao final de muitas aventuras e sofrimentos, quando Saulo volta com o remédio, encontra o amigo morto e morre também. Só nesse momento é que, apanhado em total surpresa, o leitor descobre que o personagem-narrador era um pássaro. E só então uma série de afirmações e incidentes que, durante a leitura, haviam parecido quase inverossímeis, mágicos ou exagerados... recebem sua verdadeira dimensão e tudo se justifica." [FIM DO SPOLIER] (COELHO, 2006)


Giselda Laporta Nicolelis: Domingo dia de cachimbo (1976)

Domingo dia de cachimbo é um romance infantil da escritora brasileira Giselda Laporta Nicolelis, publicado originalmente no Brasil em 1976 pela editora Vértice.

Domingo dia de cachimbo é um livro para crianças de todas as idades. Através de uma linguagem criativa e envolvente, fala de sentimentos como o amor, a amizade e principalmente da liberdade, essencial a todos nós que estamos tão presos ao dia-a-dia e esquecemos de que a imaginação e o sonho são uma das mais belas formas de expressão da liberdade. [fonte: contracapa da edição de 1985]