Luiz Puntel: Tráfico de anjos [Editora Ática, Série Vaga-Lume]

Título: Tráfico de anjos
Autor (a): Luiz Puntel
Editora: Ática
Coleção: Vaga-Lume [lista]
Período de Publicação: 1992-1998
Capa: Natália Forcat (ilustração) e Ary Almeida Normanha (layout)
Ilustrador (a): Natália Forcat
Edição Original: Tráfico de anjos, 1992, Brasil, Editora Ática

Sinopse: Aquiles, um excelente repórter de TV, investiga o misterioso sequestro e o comércio de recém-nascidos. Nesse percurso, envolve-se com a irmã de um dos bebês desaparecidos. Mas para onde vão os anjos? (fonte: site da editora, fevereiro de 2015) Quem diria, um recém-nascido acaba de desaparecer da maternidade! O que aconteceu? Para onde foi levado? A partir deste intrigante começo, Luiz Puntel escreveu Tráfico de anjos - uma história eletrizante, que vai empolgar você com as peripécias de Aquiles, repórter de televisão, e Flávia, sua namorada. Empenhados em desvendar o misterioso desaparecimento de bebês, eles seguem todas as pistas e descobrem coisas de cair o queixo. E, afinal, para onde vão os anjos? É você mesmo quem vai responder a esta pergunta, depois de sentir muita emoção com esta aventura fascinante. (fonte: contracapa do livro)


capa 1993-1998
Prefácio: Uma denúncia necessária

Luiz Puntel tem um dom raro: sabe falar ao coração dos jovens. Prova disso é o enorme sucesso de Meninos sem pátria, Açúcar amargo, Deus me livre! e Um leão em família, livros seus já publicados na Série Vaga-Lume. Neles, a preocupação com os problemas sociais sempre anda de mãos dadas com um jeito gostoso de contar histórias.

Este Tráfico de anjos não foge à regra. Com sua narrativa envolvente, Puntel mexe em temas muito atuais e polêmicos: a gravidez juvenil, as adoções e, principalmente, o comércio de bebês. Todo dia, em média de cinco crianças brasileiras é enviada ao exterior para adoção - quase duas mil por ano. Algumas vão legalmente, mas a grande maioria é contrabandeada por gente que chega ao ponto de raptar bebês aqui para negociá-los lá fora.

"Não sou contra a adoção legal de crianças por estrangeiros", explica Puntel. "Mas, quando elementos inescrupulosos negociam seres humanos, ameaçando mães solteiras e até roubando seus filhos, então estados diante de quadrilhas que precisam ser expostas e punidas."

Os heróis de Tráfico de anjos são de carne e osso mesmo, jovens que, com garra e emoção, encontram pouco a pouco o caminho do amadurecimento. E, em meio a muita ação, também topam com pessoas que, dentro da lei, se dedicam a dar a meninos e meninas um lar adotivo.

Mas mais que isso a gente não conta. Senão, a história perde a graça...

Nenhum comentário:

Postar um comentário