Spharion (Lúcia Machado de Almeida)

capa 1 (1979-1988)
Capa criada por Mario Cafiero (ilustração) e Ary Almeida Normanha (layout) para o livro Spharion, da escritora brasileira Lúcia Machado de Almeida (1910-2005), publicado no Brasil entre 1979 e 1988 [capa 1] e entre 1990 e 1995 [capa 2] pela editora Ática, dentro da coleção Vaga-Lume. Publicado originalmente em 1979. Ilustrado por Mario Cafiero.

Sinopse: Que é isso, Dico! Você está flutuando! Volte já para o berço. Olha aí o Dico já grande. Essa história é incrível. É a história de um cara muito especial que se envolve numa porção de aventuras ligadas à exploração de diamantes. Crime e aventuras, mas também amor recheiam essa nossa história... que você não pode perder. Esse aí do lado, por exemplo, é um personagem que vai fazer você vibrar de emoção. Você, que gosta de suspense, faça como eu. Vá correndo ler essa história policial. [fonte: orelha da edição publicada em 1983]

O jovem Dico, um paranormal, é chamado a participar das investigações de uma série de crimes, cujas vítimas apresentam uma enigmática palavra – Spharion – gravada em seu rosto. Como desvendar esses crimes? [fonte: site da editora]

O que significa Spharion e por que esta palavra aparece misteriosamente gravada no rosto de um velho garimpeiro encontrado morto no interior de Minas Gerais? É o que vai tentar descobrir Dico Saburó, um rapaz que tem poderes paranormais, com o auxílio do jornalista Pedro e de um investigador famoso, o inspetor Pimentel. No decorrer das investigações são muitos os fatos sobrenaturais que acontecem, além de continuarem a ocorrer outros crimes tão enigmáticos quanto o primeiro. Você vai atravessar as fronteiras da realidade e descobrir que o impossível pode acontecer, acompanhando as aventuras de Dico Saburó e seus amigos em Spharion. Vai penetrar num universo muito além da imaginação. Prepare-se para uma sucessão de surpresas, que vão mantê-lo intrigado da primeira à última página. [fonte: prefácio "Crime e enigma" da edição publicada em 1993]
capa 2 (1990-1995)

O livro contém uma nota da autora que diz: Ao escrever esta novela de ficção científica, a autora baseou sua fantasia em realidades que vão sendo descobertas, estudadas e confirmadas nessa espantosa era que estamos vivendo: era do átomo, da energia nuclear, dos vôos interplanetários e dos fenômenos parapsicológicos. Assim sendo, ela recorreu a especialistas em diversas áreas, sem a colaboração dos quais lhe teria sido impossível dar asas a sua imaginação. “...escrevo acerca das forças naturais, e não das operadas pela mão do homem. Considero, sobretudo, as coisas que se relacionam com a gravidade, a levitação, a força elástica, a resistência dos fluidos e forças semelhantes de atração ou repulsão...” (Isaac Newton)

Em 1979, ano de seu lançamento, Spharion ganhou o Prêmio Cultural do Distrito Federal e o Melhor das Artes do caderno “Fim de Semana” do jornal “Estado de Minas.

Nessa edição, o livro trazia o seguinte subtítulo: Aventura de Dico Saburó.

O protagonista do livro é Dico Saburó, um jovem paranormal. A família de Dico é formada por João Saburó (pai), Joana Saburó (mãe), Bernardina “Dina” Saburó (irmã). Spharion é o nome usado por um suposto assassino em série no livro, cujo crimes são investigados pelo Inspetor Pimentel e por Pedro, um repórter. No livro, temos também Silvana (ex-namorada de Pedro), o Pároco, Bob Lee (cantor), Mudo (ajudante de Spharion), X (colaborador de Spharion) e Professor Medeiros. Além desses personagens, muitos outros circulam na trama citados apenas por sua profissão ou situação: Mineradores, Professor de Dico, Alunos da escola de Dico, Fãs do cantor Bob Lee, Guia Turístico do Museu, Turistas Norte-Americanos, Geólogos Alemães, Mendigo, Prefeito de Diamantina, Senhora de Meia-Idade, Dentista, Físico, Estudante de Medicina, Recepcionistas da Embaixada, Embaixador Brasileiro, Governanta do Professor Medeiros, Jornalistas do Rio de Janeiro, Mestre-de-Draga, Médico Clínico, Tabelião, Zelador, Padrinho Olavo, Radioamador e Almirante. No decorrer da trama também são citados vários personagens históricos envolvidos na história de diamantes ou da Física: Jahan (Grã Mongol), Aurangzeb, Ranjit Singh, Lord Lawrence, Rainha Vitória da Inglaterra, Roger Bacon, Paracelsus, Jacob Boehme, Cagliostro, Oppenheimer, Conde de Saint-German, Abu-Ali-Al Husain, Seaborg e Heller. Também é citado como personagem histórico Fernando Ferguson, descobridor da ilha Pata do Elefante, mas não é confirmado na história se é um personagem real ou fictício.
orelha, por Edu

O personagem Inspetor Pimentel aparece como investigador em outro livro da autora, O Escaravelho do Diabo, publicado anteriormente na coleção Vaga-Lume (1974). A trama do livro é até citada rapidamente em Spharion, quando um dos personagens diz que Pimentel foi capaz de resolver o “Caso do Escaravelho do Diabo”, então ele era capacitado suficientemente para resolver o “Caso Spharion”.

O enredo principal de Spharion se passa na cidade Diamantina, em Minas Gerais. Além disso, trechos da história também ocorrem nas cidades mineiras de Serro e Canoinhas. Outras ações ocorrem na cidade do Rio de Janeiro e na cidade de Dacar (na África).


Conheça outras capas desse título, autor, editora, coleção/série ou capista nos marcadores abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário