Aventuras de Hans Staden (Monteiro Lobato)

Capa criada por Luiz Maia para o livro Aventuras de Hans Staden, do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948), publicado no Brasil a partir de dezembro de 2009 pela editora Globo (a partir de 2012 pelo selo Globinho), dentro da coleção Monteiro Lobato – Obra Infantojuvenil. Publicado originalmente em 1927. Ilustrado por Luiz Maia.

Sinopse: Já imaginou ser quase devorado por indígenas? Isso aconteceu a um aventureiro alemão que veio parar no Brasil, na época das grandes navegações marítimas, por volta de 1550. Neste livro, você vai saber como Hans Staden foi capturado por canibais, que assavam e comiam a carne dos inimigos de guerra. É de arrepiar! [fonte: contracapa do livro]

Monteiro Lobato gostava de uma boa aventura e sabia que as crianças também adoram. Pensando nisso, resolveu fazer uma adaptação infantil das aventuras de Hans Staden, viajante alemão que veio para o Brasil e foi capturado pelos índios. Esta história representa um dos mais importantes retratos dos princípios da colonização e mostra como os índios viviam quando os europeus começaram a desembarcar no Brasil. Tupinambás, carijós, tupiniquins, espanhóis, portugueses, marinheiros, caciques valentes, todos estão aqui nas páginas deste livro. O alemão Hans Staden viveu perigosas aventuras no Brasil. Emília, Narizinho e toda a turma do Sítio do Picapau Amarelo se encantaram com cada detalhe de sua história. Este livro de Monteiro Lobato, lançado pela primeira vez em 1927, foi baseado nos relatos que Hans Staden descreve no livro Duas viagens ao Brasil, de 1557. A versão Lobato traz Dona Benta como narradora da saga do viajante.

Aventuras de Hans Staden, história adaptada por Monteiro Lobato em 1927, chega às livrarias em edição ilustrada pelo artista plástico Luiz Maia. A história do jovem alemão de temperamento aventureiro que desembarcou no Brasil e foi capturado pelos índios é narrada por Dona Benta a seus netos. A avó relata a saga do viajante alemão, aprisionado durante 9 meses pelos canibais. Em meio a um cenário repleto de animais, florestas, embarcações, o leitor acompanha todas as dificuldades enfrentadas por Hans Staden durante o tempo em que foi prisioneiro e sofreu ameaças de ser devorado pelo índios. Também conhece as tentativas de Hans em convencer os canibais a não comê-lo, como no trecho em que os alerta dos perigos de assar e comer a carne dos portugueses, que eles julgavam inimigos. “A carne humana é um veneno terrível e a tua doença vem de a teres comido. Se de hoje em diante desistires de comê-las, sararás e nunca mais terás sonhos tristes”. Aventure-se ao lado de Hans Staden e dos personagens do Sítio do Picapau Amarelo e descubra como o alemão precisou de destreza, agilidade, sagacidade, sorte e muita coragem para continuar vivo. [fonte: site da editora]

Aventuras de Hans Staden é uma adaptação para o público infantil (com acréscimo de situações com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo) do livro Warhaftige Historia und beschreibung eyner Landtschafft der Wilden Nacketen, Grimmigen Menschfresser-Leuthen in der Newenwelt America gelegen (1557), do escritor alemão Hans Staden (1525-1579). Existem edições que foi publicada apenas com o título de Hans Staden. O livro alemão foi traduzido por Monteiro Lobato e publicado em 1925 com o título Meu cativeiro entre os selvagens do Brasil. Além disso, existem outras traduções com títulos como Duas viagens ao Brasil ou Viagem ao Brasil, entre outros.
contracapa

Essa edição do livro contém um prefácio intitulado “A comida que chega aos pulos” escrito por Marcia Camargos.

Adaptações para televisão: Sítio do Picapau Amarelo (1952-1962, série, TV Tupi), Sítio do Picapau Amarelo (1964, série, TV Cultura), Sítio do Picapau Amarelo (1967-1969, série, TV Bandeirantes), Sítio do Picapau Amarelo (1977-1986, série, TV Globo), Sítio do Picapau Amarelo (2001-2007, série, TV Globo) e Sítio do Picapau Amarelo (2012-2014, série animada, TV Globo).

Conheça outras capas desse título, autor, editora, coleção/série ou capista nos marcadores abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário