A chave do tamanho (Monteiro Lobato)

Capa criada por Paulo Borges para o livro A chave do tamanho, do escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948), publicado no Brasil a partir de dezembro de 2008 pela editora Globo (a partir de 2012 pelo selo Globinho), dentro da coleção Monteiro Lobato – Obra Infantojuvenil. Publicado originalmente em 1942. Ilustrado por Paulo Borges.

Sinopse: Como acabar com a guerra e convencer a humanidade a conviver em paz e harmonia? O Sítio do Picapau Amarelo perdeu a antiga alegria depois que os combates da Segunda Guerra Mundial começaram. Para acabar com a tragédia, Emília tem mais uma de suas ideias brilhantes. Mas dessa vez, a bonequinha causa uma mudança radical que coloca em perigo todo o globo terrestre. [fonte: contracapa do livro]

Este livro foi lançado em 1942, quando os submarinos alemães afundaram navios mercantes brasileiros. O ataque provocou a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, ao lado da Inglaterra, da França, da Rússia e dos Estados Unidos, países do bloco das nações aliadas que lutavam contra a Alemanha, a Itália e o Japão. Em A chave do tamanho, Monteiro Lobato faz uma dura crítica aos governantes que destruíram cidades inteiras, matando milhares de pessoas na Europa. Ele apresenta para os pequenos leitores o tema da guerra, um problema muito sério que os adultos daquele tempo não costumavam discutir com as crianças. Em uma história cheia de perigos e suspense, Emília lidera a turma do Sítio com novos personagens que tentam sobreviver em um mundo radicalmente mudado. Desde suas primeiras edições, A chave do tamanho trazia um texto intitulado “Explicação necessária”. Nele, Monteiro Lobato esclarecia que todos os personagens vinham das histórias anteriores, que começaram com Reinações de Narizinho, livro lançado em 1931. Ele conta que Dona Benta, a avó de Pedrinho e Narizinho, vive com eles no Sítio do Picapau Amarelo, em companhia de Tia Nastácia, mais o Visconde de Sabugosa, além de Quindim, o rinoceronte, e do Conselheiro, um burro falante muito inteligente. Também comenta que Emília mudou bastante, tornando-se praticamente uma pessoa de verdade, independente, divertida, cheia de ideias e que manda em quase todo mundo no Sítio. [fonte: orelha do livro]

Numa época em que os adultos não costumavam conversar assuntos sérios com as crianças, Lobato fala sobre a guerra com o público infantil neste livro que se tornou um de seus grandes sucessos. Nessa história, Dona Benta e a Turma do Sítio do Picapau Amarelo estão muito preocupados com as notícias que chegam pelo rádio e pelos jornais e relatam os bombardeios e as mortes causadas pela segunda guerra mundial. Escondida de todos, Emília resolve dar um jeito na situação e depois sai pelo mundo enfrentando perigos e fazendo descobertas. [fonte: site da editora]
contracapa

Essa edição contém um prefácio intitulado “Quando tamanho é documento”, escrito por Marcia Camargos.

Adaptações para televisão: Sítio do Picapau Amarelo (1952-1962, série, TV Tupi), Sítio do Picapau Amarelo (1964, série, TV Cultura), Sítio do Picapau Amarelo (1967-1969, série, TV Bandeirantes), Sítio do Picapau Amarelo (1977-1986, série, TV Globo), Sítio do Picapau Amarelo (2001-2007, série, TV Globo) e Sítio do Picapau Amarelo (2012-2014, série animada, TV Globo).

Conheça outras capas desse título, autor, editora, coleção/série ou capista nos marcadores abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário